QUAL A DIFERENÇA DESSAS DUAS BETERRABAS? A CIÊNCIA .

 

Muito se questiona sobre os possíveis malefícios de alimentos modificados geneticamente e transgênicos, mas pouco se comenta sobre os benefícios do melhoramento genético de plantas e animais.
Há dois séculos a população mundial era de um bilhão de habitantes, e o cenário era de escassez de alimentos e fome. Ha um século tínhamos uma população de dois bilhões de pessoas na terra, e nos últimos cinquenta anos dobramos a população mundial, melhorando a disponibilidade de alimentos, salvo em locais com problemas políticos ou guerras.
Como foi possível alimentar tanta gente? A resposta está no uso de tecnologias no campo, desde mecanização, uso de fertilizantes, corretivos e defensivos, e fundamentalmente no melhoramento genético de plantas e animais.
Particularmente depois da primeira guerra mundial, a Europa vivia uma situação de fome e desnutrição. Nesse contexto os cientistas lançaram mão dos alimentos que pudessem ser produzidos facilmente e em grande quantidade, melhorando suas características nutricionais e de conservação pós-colheita. Alimentos como a beterraba e o repolho, selecionando cores e sabores mais atrativos e a presença de nutrientes importantes. Veja o exemplo da beterraba, antes de cor amarelada, foi melhorada para o roxo e se tornou rica em ferro, para combater a anemia que assolava as crianças da época. Quem já não teve que comer beterraba quando criança?
Nesse caminho temos inúmeros exemplos, como a produção de uvas no nordeste brasileiro; ou mesmo a precocidade na produção de frutas como laranja, limão, manga, abacate …. pelo uso da técnica de enxerto, fazendo com que uma planta comece a produzir logo no segundo ano, quando antes demoraria mais de uma década para começar a produzir.
A grande questão se torna a velocidade com que tudo passa a acontecer, quando no melhoramento genético tradicional por cruzamentos, demora-se décadas até se conseguir um resultado satisfatório, com as novas técnicas genéticas, os resultados são muito mais rápidos e eficazes.                O Nobel de química desse ano veio premiar uma técnica de edição gênica, que está sendo empregada no melhorando de plantas e em tratamento de doenças, como o câncer.
Mas quem poderia ser contra a evolução? Basta lembrarmos de alguns anos atrás quando o MST invadiu centros de pesquisa da EMBRAPA e destruiu pesquisas como a de um mamão com todas as vitaminas necessárias ao homem, e a uma variedade de feijão resintente a seca e com todas os aminoácidos essenciais. Pesquisas com foco na melhoria da qualidade de vida do pequeno agricultor.
Infelizmente ainda existem ideologias que se poiam na miséria humana para crescerem. Bom ficarem atentos às reais intenções de críticos às evoluções, principalmente quando isso repercute diretamente na melhoria da qualidade de vida dos mais pobres.

ESTA PUBLICAÇÃO DEDICO ESPECIALMENTE A TODOS OS AGRÔNOMOS, COMEMORA SE NO  DIA 12 DE OUTUBRO O DIA DESTES PROFISSIONAIS QUE  TRABALHAM, ESTUDAM E PESQUISAM DIARIAMENTE PELO AGRO.

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial
Pinterest
LinkedIn
LinkedIn
Share
Instagram
Telegram