Agricultura sem solo

Na Europa, é normal vermos um trator a deslocar-se pelos campos.Nos 28 países da UE, quase metade da superfície total são terras agrícolas. No entanto, a probabilidade de não ser utilizado solo para cultivar os seus vegetais está a aumentar de forma constante, visto que a agricultura sem solo está em ascensão.

Apesar de o conceito existir há bastante tempo, só agora a agricultura sem solo está a ganhar mais destaque. No século XIX, alguns cientistas afirmaram que as plantas podem ser capazes de crescer sem utilização de solo. Mas não foram os primeiros, uma vez que os Astecas construíram quintas flutuantes no mar e no século XIII os chineses fizeram o mesmo com jardins.

Com as técnicas e o equipamento certos, é possível cultivar plantas em água ou até mesmo em névoa. Ao aplicar uma solução de nutrientes diretamente nas raízes de uma planta, num ambiente controlado, um agricultor pode garantir que a planta terá sempre um crescimento ótimo. Isto torna a planta mais produtiva.

A hidroponia, um método comum de agricultura sem solo, é utilizada sobretudo para o cultivo de tomates, alfaces, pepinos, pimentas e ervas aromáticas. No entanto, a técnica pode ser utilizada, teoricamente, para cultivar qualquer planta.

Conhecido também como cultivo na água, a pratica é bastante antiga. Foram os alemães Sachs e Knop, em 1860 a em 1861, os que primeiro cultivaram uma planta de semente a semente em meio líquido. Para que se possa fazer o cultivo de plantas na água é necessário que essa água substitua as funções do solo, que é o meio natural de crescimento das plantas superiores.

Os estudos na área de nutrição mineral de plantas levaram ao conhecimento dos fatores de crescimento imprescindíveis ao desenvolvimento das plantas que são retirados do solo, podendo-se, hoje, substituí-los adequadamente e fazer o cultivo em água.

No Brasil, as experiências com cultivo hidropônico comercial são relativamente recentes; porém, na Europa, no Japão e nos Estados Unidos, grande quantidade de hortaliças são produzidas em tais sistemas há cerca de 20 anos. Os sistemas hidropônicos se estabeleceram como formas de cultivo comercial por serem versáteis a apresentar uma série de vantagens em relação às formas convencionais de cultivo.

Entre outras vantagens, o cultivo hidropônico possibilita a produção de hortaliças em pequenas áreas a em locais em que as terras são impróprias para a agricultura. O gasto com fertilizantes é menor, como também a incidência de pragas a doenças, o que leva à produção de hortaliças sem resíduos de agrotóxicos, ao mesmo tempo que preserve o meio ambiente da contaminação com produtos químicos.

O gasto com mão-de-obra é menor, o trabalho é agradável e a produtividade é alta. Há ainda que considerar que o produto colhido apresenta alta qualidade a que os ciclos de cultivo se tornam mais curtos. Estas são algumas das razões responsáveis pelo interesse crescente que a hidropônia tem despertado entre os produtores e aficionados pela agricultura.

A agricultura sem solo pode ter um papel significativo na alimentação do número crescente de pessoas.

 

Fontes: www.agrolink.com.br / www.am.pictet / www.cpt.com.br

Imagem: blueberriesconsulting.com

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.