2021_YvesSaintLaurent_0001_Libre_BannerL_Officiel_970x250_71065b23-8678-41f5-95a8-ff6a5889752c.jpg

Vegetarianismo: Mais que estilo de vida

A preocupação com os danos ambientais causadas pela alimentação e saúde do corpo, visto que ” Se é o que se come, tem influenciado as pessoas cada dia mais a considerarem o vegetarianismo e o veganismo, que são estilos de vida mais saldáveis e alternativos. Cerca de 14 % da população brasileira já são adeptos ou vegetarianismo e 5% da população mundial também aderiram ao estilo, números que animam e incentivam a classe.

O processo de criação, alimentação abate das carnes em geral exigem muito do ambiente especialmente a carne bovina, que requer grandes extensões territoriais para passagem, aumentando o índice de áreas desmatadas, a Amazônia e toda sua crise ambiental são provenientes do desmatamento e queimadas diárias que viraram pastos para pecuária, e ainda usam muita água e emitem grandes quantidades de gases de efeito estufa.

Principais benefícios  da adoção do vegetarianismo 

  • Preservação ambiental;
  • Melhoria das condições de saúde;
  • Defesa e bem estar dos animais.

Vegetarianismo e seus efeitos na economia 

O pesquisador da universidade de Oxford, Marco Springmann diz que “Uma economia vegetariana criaria novos tipos de emprego e alimentos a base de plantas que substitui a carne ” e “Os custos de saúde gerados pelo alto consumo de carne e os custos associados as mudanças climáticas seriam reduzidos”. Os agricultores e pecuaristas teriam prejuízo com a mudança da alimentação visto que o agro é um dos setores que mais gera empregos e contribui de forma substancial para o Produto Interno Bruto (PIB) “Vendedores e agricultores teriam que diferenciar seus negócios”.

É possível que toda a população seja vegetariana ?

Ryan Katz, professor da faculdade ciências sociais da Universidade de Ottawa, afirma que “Fico relutante em pensar nessa situação hipotética, porque não a vejo acontecendo no futuro. Para que a mudança funcione, o governo precisaria fornecer suplementos alimentares para que não houvessem prejuízo a saúde “O equilíbrio é necessário mas não é fácil de alcançar.

Com tudo tem restaurantes veganos pelo mundo, ganhando a estrela Michelin, que é considerado a bíblia da gastronomia e é o principal indicador do quão boa pode ser a experiência de comer em um determinado restaurante. Um dos maiores sonhos dos grandes chefes é ter o privilegio de uma estrela Michelin e a Craire Vallé consegui isso com o seu restaurante ONA- Origine Non Animale, que tem como significado: pura e simplesmente só serve pratos criados com produtos e ingredientes sem origem animal.

Não é o primeiro Michelin para um restaurante vegano, mas é primeiro desse tipo para um restaurante na França atribuindo ao titulo ainda mais importância. A chefe conta que quando foi abrir o ONA e procurou por créditos “Disseram que as projeções para o veganismo eram demasiada incertas”, ela não desistiu e hoje tem um dos selos mais cobiçados na gastronomia “existem aventuras fora dos códigos, do tempo e espaço, há alquimias emergentes, tomadas de consciência e historias extraordinárias onde a magia pode finalmente aparecer”.

Diferenças entre vegetarianismo e veganismo 

Vegetarianos: Optam por parar de comer qualquer tipo de carne, mas ainda consomem ovos e leites.

Veganismo: Não consomem nada de proteína animal e nem seus derivados, é uma dieta totalmente restrita.

Texto por: Maria Laura

Fonte: G1 e Fulgas

Imagem: Pinterest

Gostou? Comenta aqui oque Achou!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *